CARTILHA DO DIVÓRCIO

 

categoria : família, divórcio em 30 maio de 2015 por Milena

Ah, o AMOR! Quem é que nunca se pegou pensando sobre o que quer dizer este sentimento?

Segundo a filosofia grega, existem 3 tipos de amor. São eles:

- philos: é o amor fraternal, que envolve lealdade, igualdade e mútuo benefício, além de dedicação ao objeto amado. Esse amor também se refere ao amor de amizade, que não monopoliza, não escraviza e não cria dependentes, quando se ama o outro da forma que ele é. Para o filósofo grego Epicuro, a amizade é o máximo que a sabedoria da felicidade pode proporcionar na vida.

- ágape: é o amor a integrantes de uma família, de um grupo com afinidades, ou um afeto para uma atividade particular em grupo. Em textos gregos antigos como o poema “A Odisseia” de Homero, o amor Ágape é notado nas ações de seus personagens e nas relações entre marido, esposa, filhos e empregados, onde percebe-se respeito e admiração, além da satisfação e do prazer em compartilhar refeições entre pessoas fraternas que se respeitam.

- eros: representa o amor sexual, carnal, repleto de paixões inebriantes, a pura atração física, que manifesta o instinto de união e reprodução. Eros representa o amor pela beleza e a perigosa obsessão pelo amado e o prazer que ele traz. É o amor fundamental para a natureza, pois é a força primitiva da procriação e preservação da espécie. Eros é o tipo de amor mais perigoso dos três, pois se não vivido de forma equilibrada com Ágape e Philos pode trazer muita dor.

Realmente! A dor do fim de um amor é algo terrível! E do amor eros podem vir frutos: os filhos!

Mas quem disse que a Justiça não se importa com "coisas banais, como são os sentimentos"?

As ações de divórcio ou de dissolução de união estável devem, sem dúvida, priorizar o bem estar dos filhos menores do casal. No entanto é preciso saber que este é um momento bastante delicado também para os adultos envolvidos. Um momento onde o casal precisa se adaptar a tanta mudança, decepções, frustrações e ainda seguir a vida da melhor maneira possível para não prejudicar o desenvolvimento de seus filhos.

É preciso muita maturidade para entender que existe ex-mulher, ex-marido, mas que não existe ex-filho. E nenhum filho se sente bem ouvindo falar mal da sua mãe ou do seu pai.

Pensando em ajudar esses pais a lidar com essa situação, o Conselho Nacional de Justiça lançou a Cartilha do Divórcio. Você pode ler e baixar ela clicando aqui.

A cartilha é válida não só para aqueles que se divorciaram, mas para todos aqueles pais ou mães que não estão mais juntos com a mãe ou pai de seus filhos. Se esse não é o seu caso, divulgue para os conhecidos. Sem dúvida você poderá ajudar pessoas a entender que o fim de uma relação pode não significar o fim de uma família.

top